Dados dos CTT divulgam aumento do consumo online

Dados dos CTT confirmam o aumento do consumo online

101

Em todo o mundo, o consumo online tem vindo, gradualmente, a tornar-se um hábito comum e regular para muitas pessoas. Dados emitidos pelos CTT e decorrentes de um estudo sobre o passado ano 2019 indicam que Portugal não foge a esta tendência. Conheça, então, os números do consumo online português em 2019.

Ao longo dos últimos anos – principalmente nos últimos anos do século XX e nas duas primeiras décadas do século XXI – temos assistido a um crescimento sem precedentes no número de lojas online em termos mundiais.

As pessoas encontram uma grande abertura deste tipo de espaço comercial online, já que este permite a conquista de uma renda passiva, muitas vezes a par com empregos tradicionais, ajudando a equilibrar as finanças familiares. Além disso, hoje, os métodos promovidos por sites como o Oberlo, tais como o dropshipping, permitem a gestão destes espaços de e-commerce com maior facilidade.

Evidentemente, a criação de mais lojas online não afeta apenas os empreendedores que trabalham na área mas também os próprios hábitos dos consumidores.

Cada vez mais, o aparecimento de novas lojas online, muitas das quais bastante aclamadas pela diversidade e pelo preço dos produtos, atrai consumidores. Esta procura pelos produtos online faz com que mais e mais pessoas tendam para este tipo de meio quando querem fazer as suas compras. A tendência internacional parece, também, ter expressão em Portugal, segundo indicam alguns dos estudo mais recentes sobre os hábitos de consumo lusitanos.

Considerando o ano de 2019, incluindo épocas promocionais intensas, tal como a Black Friday, a análise realizada pelos CTT buscou conhecer os números relativos ao consumo online pelos portugueses e apresentou um relatório onde revela mais sobre as tendências da atualidade no que diz respeito às compras no universo online.

Venha descobrir quais os aspetos avaliados pelos CTT e saber como os hábitos dos portugueses se estão a alterar no que diz respeito às suas formas preferenciais de consumo.

As mudanças nas compras online em Portugal segundo os dados dos CTT

Os Correios de Portugal (CTT) realizaram recentemente um relatório onde apresentam alguns dados sobre os hábitos de consumo dos portugueses. Este estudo revelou, fundamentalmente, que estamos a assistir, neste momento, a um representativo crescimento no que diz respeito à procura de produtos em lojas online. Na verdade, parece que a preferência assumida deste tipo de consumidor recai, justamente, sobre o e-commerce.

O relatório apresentado pelos CTT revela que, em 2019, as lojas online em Portugal obtiveram 5 mil milhões de euros, número que revela um crescimento na ordem dos 17% face ao último estudo, realizado em 2017.

Com um grande aumento no número de empreendimentos online portugueses, na ordem dos 10% em 2019, pareceu verificar-se, não só uma alteração no mercado de trabalho mas também uma mudança visível nos hábitos dos consumidores.

Neste momento, cerca de 46% dos portugueses afirmam que preferem comprar online do que comprar nas lojas convencionais, sendo que, entre as pessoas que preferem este tipo de consumo, se notou também uma procura mais acentuada de produtos. As lojas online registaram, pois, em 2019, um aumento de 14% na venda dos seus produtos.

Dos inquiridos, cerca de 40% afirmou que, tendo a escolha entre comprar online ou nas lojas físicas, preferem não ter de se deslocar ao comércio convencional.

Apesar de se verificar que o crescimento do consumo online se faz a par com o aumento no número de lojas nacionais, a maioria das compras realizadas pelos portugueses são em lojas com origem na China, no Reino Unido e em Espanha.

A mudança laboral em Portugal e o aumento no número de lojas online

Ao longo das últimas décadas, a economia portuguesa viveu dias complexos, que se manifestaram, entre outros aspetos, em índices de desemprego muito elevados e em salários precários, que dificultaram a vida a muitas famílias lusas.

Perante a inflação, nomeadamente no mercado imobiliário, muitos portugueses acabaram por contrair créditos e obrigações que, depois, com a crise, se tornaram muito complicadas de cumprir.

Esta situação motivou, pois, a procura por novas alternativas de trabalho, sendo que muitas destas aconteceram (e acontecem) no meio digital.

O aparecimento de novas lojas online portuguesas é um bom exemplo do empreendedorismo português na luta contra a complexa situação da economia, sendo uma das alternativas mais procuradas por quem quer melhorar os seus rendimentos ou fugir do desemprego.

Além desta alternativa, no entanto, os portugueses começaram, também, a aproveitar as ferramentas digitais para desenvolverem as atividades da sua formação enquanto trabalhadores por conta própria. Os freelancers surgiram, de forma mais intensa, em áreas diversas, sendo comum que se encontrem, nestas circunstâncias, artistas, contabilistas, prestadores de serviços e até professores.

Aproveitando o potencial das redes sociais e das ferramentas online, os portugueses arranjam, assim, uma forma de fugir da precariedade e de conquistar a desejada vida digna e independente.

(Artigo Patrocinado)

Partilhe:




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close