investidores do Médio Oriente rumam ao Reino Unido

Investidores do Médio Oriente rumam ao Reino Unido

A instabilidade geopolítica no Médio Oriente, e os atuais preços do petróleo, estão a levar os investidores privados daquela zona geográfica a orientar os seus investimentos em ativos imobiliários para o Reino Unido, segundo a JLL.

“Esta tendência emergiu pela primeira vez há cinco anos aquando do despertar da “Primavera Árabe” mas tem vindo a acelerar nos últimos 24 meses”, disse Fadi Moussali, head do grupo para o Médio Oriente e Norte de África da divisão de International Capital da JLL.

Esta tendência de deslocação para um destino de investimento mais seguro, já é evidente entre os diferentes tipos de ativos que esta classe de investidores procura.

“Os negócios a que estamos a assistir enquadram-se no leque sub-institucional e estão tipicamente avaliados entre os 20 e os 50 milhões de dólares, sendo que os ativos preferidos são imóveis com alto rendimento e contratos de arrendamento de longa duração. Em suma, estão à procura de imóveis com boas yields e com boas perspetivas de longo prazo em termos de estabilidade”, acrescentou Moussalli. “Os recentes movimentos cambiais deram a esta tendência de compra um ímpeto adicional, já que a libra esterlina está no nível mais baixo dos últimos sete anos face ao dólar, ao qual a maioria das moedas do Golfo está indexada”.

A pressão para comprar também está a incitar os investidores do Médio Oriente a considerar ativos secundários (não-core), e estes estão cada vez mais à procura de imóveis em localizações fora do mercado habitual de Londres, onde é mais fácil obter yields mais elevadas.

Embora os investidores típicos do Médio Oriente tenham até agora dado preferência a ativos core de escritórios e retalho, esta busca por yields está agora a motivá-los a comprar oferta não-core como imóveis de logística, para cuidados de saúde e imóveis para alojamento de estudantes, sobretudo aqueles com um perfil de elevado rendimento a longo prazo.

“Com a procura de imóveis em Londres a aquecer, estes investidores estão agora a considerar investir em imóveis residenciais no Norte de Inglaterra, sobretudo onde yields razoáveis podem estar ligadas a um bom retorno de capital”, explicou Moussalli. “Um ativo que gera yields de 5-6% ao ano e valoriza em torno dos 10-12% anualmente, será muito atrativo para um investidor – sobretudo quando consideramos que os retornos para imóveis comparáveis em Londres serão cerca de metade destes valores”.

Apesar da potencial saída britânica da União Europeia, o “Brexit”, que será decidida por referendo no Reino Unido a 23 de Junho de 2016, poder ter motivado alguns investidores a adiar as decisões de investimento, outros podem ter visto este eventual abrandamento do ritmo de mercado como uma oportunidade para comprar.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close