Home » Ci√™ncia & Tecno » NASA aprova projeto da Universidade de √Čvora
NASA aprova projeto da Universidade de √Čvora

NASA aprova projeto da Universidade de √Čvora

A Ag√™ncia Espacial Norte Americana (NASA) aprovou recentemente o projeto ‚ÄúAssessing the usefulness of ICESat-2 data for wildland fuel mapping‚ÄĚ, liderado por S√©rgio Godinho, investigador do Laborat√≥rio de Dete√ß√£o Remota (EarsLab) do Instituto de Ci√™ncias da Terra (ICT) da Universidade de √Čvora (U√Č), que pretende, com recurso a dete√ß√£o remota, desenvolver m√©todos inovadores para mapear os combust√≠veis florestais e obter cartografia essencial para apoiar o planeamento e a gest√£o das atividades de preven√ß√£o e supress√£o dos inc√™ndios florestais.

Testar e combinar um conjunto de metodologias que permitam traduzir o sinal laser emitido e registado pelo sat√©lite ICESat-2 em informa√ß√£o quantitativa, obtendo dados precisos sobre a estrutura e quantidade da vegeta√ß√£o existente na superf√≠cie da Terra √© o objetivo do projeto desenvolvido no √Ęmbito do programa ‚ÄúICESat-2 Applied Users Program‚ÄĚ da NASA.

Este sat√©lite da NASA, lan√ßado em 2018, disp√Ķe de tecnologia de ponta que permite criar um retrato global tridimensional do nosso planeta. A orbitar a quase 500 km, o ICESat-2 possibilita o mapeamento com extrema precis√£o do nosso planeta e das caracter√≠sticas do territ√≥rio, o que permite aos cientistas, atrav√©s dos dados obtidos, acompanhar as mudan√ßas no terreno, incluindo o degelo dos glaciares, a subida do n√≠vel dos mares ou altera√ß√Ķes na vegeta√ß√£o.

√Č nesta √ļltima √°rea que se insere o projeto liderado por S√©rgio Godinho, recentemente aprovado pela NASA. O sensor ‚ÄúAdvanced Topographic Laser Altimeter System (ATLAS)‚ÄĚ, a bordo do sat√©lite ICESat-2, envia pulsos de laser para a superf√≠cie da Terra e recolhe, atrav√©s de um telesc√≥pio, os fot√Ķes que s√£o refletidos novamente para o espa√ßo. Ao registar o tempo de viagem dos fot√Ķes entre a superf√≠cie da Terra e o telesc√≥pio, o ATLAS converte esse tempo em dist√Ęncia percorrida utilizando a constante da velocidade da luz. Sabendo a posi√ß√£o exata do ICESat-2, atrav√©s de um GPS de alta precis√£o incorporado no sistema, a dist√Ęncia percorrida pelos fot√Ķes √© convertida em altura, ou seja, para cada fot√£o registado ficar√° associado a respetiva coordenada e a altitude.
Com base nesta informação os investigadores poderão reconstruir o perfil vertical da vegetação, que permitirá gerar um conjunto de variáveis, como por exemplo a altura das copas ou altura da base da copa, entre outras, e posteriormente estimar a quantidade de biomassa acima do solo.
O coordenador do projeto na U√Č destaca a import√Ęncia deste projeto que ir√° permitir, ao longo dos pr√≥ximos 3 anos, a ‚Äúcolabora√ß√£o com alguns dos melhores investigadores e cientistas mundiais da tecnologia LiDAR* a partir do espa√ßo, mas que ser√° tamb√©m uma forma de projetar o nome da U√Č, dando visibilidade √† investiga√ß√£o especializada dos inc√™ndios florestais, uma problem√°tica premente da sociedade contempor√Ęnea‚ÄĚ.

Sobre o programa ICESat-2

O programa ‚ÄúICESat-2 Applied Users Program‚ÄĚ pretende avaliar de que forma a miss√£o espacial ICESat-2 pode gerar um benef√≠cio direto para a sociedade em diferentes √°reas (florestas, agricultura, biodiversidade, atmosfera, etc). Para o efeito, a NASA selecionou um conjunto de projetos de investiga√ß√£o orientados para o teste, calibra√ß√£o e valida√ß√£o dos dados do ICESat-2 para diferentes aplica√ß√Ķes cient√≠ficas, tendo sido o projeto submetido pelo investigador do ICT um dos contemplados.

Universidade de √Čvora / apimprensa / CS

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.