Formação de dermatologia em São Tomé e Principe

Formação de dermatologia em São Tomé e Principe

393

A Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) preparou um programa alargado de formação científica para dermatologistas portugueses e africanos da lusofonia, no qual se insere a missão de formação e apoio assistencial a São Tomé e Príncipe, ação que decorre naquele país, entre 16 e 20 de julho.

Durante cinco dias, vai decorrer a partilha de experiências entre os diferentes dermatologistas portugueses, angolanos e moçambicanos, numa formação científica para médicos e outros técnicos de saúde São Tomenses. Na sequência do encontro, também vão ser observados doentes nos diferentes distritos de São Tomé e realizados tratamentos cirúrgicos no hospital central de São Tomé e no Príncipe.

António Massa, Presidente da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia justifica a iniciativa expondo que “Em Portugal existem cerca de três centenas e meia de Dermatologistas e meia centena de Médicos em formação, o que permite estabelecer uma razoável rede nacional de cuidados de Dermatologia. Contudo, em muitos países do continente Africano o acesso a formação e à saúde da pele ainda está em desenvolvimento. Por isso, o apoio de países nesta área da saúde, com conhecimentos da língua e da cultura, como Portugal, é fundamental e muito bem-recebido”.

O presidente da SPDV revela que “De modo regular vai haver encontros entre dermatologistas dos PALOP e Portugal para atualização e troca de experiências, numa lógica de partilha fraterna de vivências em que os colegas de África fornecem o valor da sua experiência em dermatologia tropical e os de Portugal transmitem a experiência da vida clínica na Europa”.

O programa de assistência e formação a estes países, conta também com uma bolsa de formação solidária, com uma duração de cerca de 4 semanas, em Portugal, destinada a médicos internos do último ano, provenientes de Cabo Verde, Moçambique e Angola.

Em complemento a estas iniciativas, a SPDV estabeleceu um protocolo de cooperação com a Kanimambo para apoio a doentes albinos em Moçambique. Neste âmbito, vão ser feitas cirurgias a albinos com cancro de pele avançado, no hospital Central de Maputo e no hospital Central de Nampula, bem como, vai ser iniciada uma campanha de educação para mudar o cariz estigmatizante da doença.

Todo este programa de cooperação envolve como parceiro da SPDV o Instituto do Marquês de Valle Flor cuja experiência de décadas na África da lusofonia é fundamental para a concretização.

A SPDV é a instituição que em Portugal desenvolve maior atividade de educação médica contínua na área da Dermatologia e Venereologia. Com os objetivos de promover e estimular a investigação em diferentes áreas especializadas da dermatologia, facultar a formação de colegas e a informação do público, uniformizar e harmonizar protocolos entre os vários centros e cooperar com instituições similares estrangeiras, parte significativa da atividade da SPDV é da iniciativa das 11 Secções Especializadas – Grupos de Cirurgia Dermatológica, de Dermatologia Cosmética e Estética, de Dermatologia Pediátrica, de Dermatopatologia, de Dermatoscopia, de Doenças Sexualmente Transmitidas, de Estudo das Dermites de Contacto, de Fotobiologia, de Psoríase e de Tricologia e de Micologia.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close