Carlos Brito preside ao Observatório do Vinho do Porto

Carlos Brito preside ao Observatório do Vinho do Porto

O Prof Carlos Brito, Vice-Reitor da Universidade Portucalense, foi eleito Presidente do recém criado OBSERVATÓRIO DO VINHO DO PORTO, entidade que tem por missão, “defender e potenciar a imagem do vinho do Porto, alertando a opinião pública para decisões que prejudiquem a reputação deste Embaixador Português”.

“É fundamental desenvolver uma campanha promocional do Vinho do Porto com agências especializadas, com início já em julho/setembro do corrente ano com o fim de reduzir o efeito do confinamento mundial, exatamente no momento em que alguns países começam a reactivar o comércio”, afirma o presidente.

O Observatório já tem no terreno, a petição nacional “Salvem a genuinidade do vinho do Porto e Douro” pela reposição do “selo à cavaleiro”, um selo de garantia que era obrigatório colocar no gargalo das garrafas de vinho do Porto até 2018.

Durante 80 anos e até 2018, o vinho do Porto só podia ser comercializado exibindo no gargalo da garrafa o respetivo selo de garantia, aprovado e emitido pelo IVDP. Nesse ano, o Governo decidiu tornar facultativa a colocação do clássico selo à cavaleiro no gargalo das garrafas, que pode, agora, ser colocado no contra-rótulo retirando aos importadores a possibilidade de nas prateleiras rapidamente demonstrarem a diferença entre um simples vinho licoroso que utiliza a marca PORT, e o Vinho do Porto genuíno que é reconhecido a nível mundial pelo selo à cavaleiro no gargalo da garrafa.

O Observatório também defende a necessidade da utilização das reservas financeiras no lançamento de uma campanha internacional em prol do consumo do Vinho do Porto com o fim de minimizar os efeitos que certamente se irão fazer sentir na região durante a vindima.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close