Home » Desporto » Surf & BodyBoard » Seis Surfistas Portugueses no Mundial do Jap√£o

Seis Surfistas Portugueses no Mundial do Jap√£o

Foram convocados os 6 surfistas que v√£o representar Portugal nos World Surfing Games, o Mundial de Sele√ß√Ķes que vai ter lugar em Miyasaki, no Jap√£o, de 7 a 15 de Setembro, evento que abre portas √† qualifica√ß√£o ol√≠mpica

Portugal apresenta-se neste mundial, com uma Seleção Nacional que reune alguns dos atletas mais cotados, para representarem o país nos ISA World Surfing Games, sob a batuta do selecionador nacional David Raimundo.

Frederico Morais, 27 anos, o segundo surfista português a qualificar-se para o World Tour, o principal circuito mundial de surf, que já corre há três anos (em 2019 como suplente).

Vasco Ribeiro, 24 anos, conta no seu curr√≠culo com um t√≠tulo mundial de juniores e uma medalha de prata em sub-18 no Mundial de Juniores da ISA, al√©m de v√°rios t√≠tulos nacionais. √Č apontado h√° anos como o prov√°vel terceiro portugu√™s a qualificar-se para o World Tour, depois do hist√≥rico Tiago ‚ÄúSaca‚ÄĚ Pires, (seu treinador) e Frederico Morais.

Miguel Blanco, 23 anos, √© o atual campe√£o nacional de surf e tem seguido uma carreira competitiva no circuito mundial de qualifica√ß√£o, tendo quebrado a barreira do ‚Äútop 100‚ÄĚ mas tamb√©m como ‚Äúfree surfer‚ÄĚ, conquistando recentemente uma capa na revista ‚ÄúSurfer‚ÄĚ, a ‚Äúb√≠blia‚ÄĚ do surf mundial.

Teresa Bonvalot, 19 anos, entrou para a história do surf nacional quando, com apenas 14 anos, se sagrou campeã nacional, tendo repetido a proeza no ano seguinte. Tem ainda no currículo dois títulos europeus e vários resultados importantes no Circuito Mundial de Qualificação (WQS) que a colocam como grande esperança nacional a uma presença no World Tour feminino.

Carol Henrique, 24 anos, foi a primeira portuguesa a conquistar o título europeu do WQS, em 2017. Tem também no currículo dois títulos nacionais e é uma das mais fortes atletas nacionais no circuito mundial de qualificação.

Yolanda Hopkins Sequeira, 20 anos, conquistou o título nacional de surf o mês passado, em Aveiro e venceu há poucos dias o WQS 1000 de Newquay, em Inglaterra, pelo que é justo dizer que está na melhor forma competitiva de sempre.

Jo√£o Aranha, presidente da Federa√ß√£o Portuguesa de Surf (FPS), real√ßa a import√Ęncia da participa√ß√£o portuguesa neste Mundial de Surf que √© tamb√©m o √°trio para os Jogos Ol√≠mpicos de T√≥quio 2020, edi√ß√£o ol√≠mpica onde o surf faz a sua estreia:

‚ÄúEste √© o primeiro campeonato do mundo da hist√≥ria do surf que qualifica para uns Jogos Ol√≠mpicos pelo que o seu significado √© imenso. Portugal leva at√© ao Jap√£o um lote de atletas que representa o que de melhor tem sido feito no surf portugu√™s desde h√° v√°rios anos, num processo em que a FPS tamb√©m tem tido um papel a desempenhar, e que, esperamos, ajude a fazer hist√≥ria, n√£o s√≥ do surf, mas do Desporto nacional.‚ÄĚ

O dirigente m√°ximo do surf portugu√™s espera, todavia concorr√™ncia como nunca se viu num Mundial da ISA: ‚ÄúDo que sabemos at√© agora, porque nem todas as equipas ainda foram divulgadas, toda a gente vai apresentar-se no Jap√£o na m√°xima for√ßa, com os melhores surfistas do World Tour. Sabemos que o Brasil, por exemplo, vai apresentar-se com o Gabriel Medina (campe√£o mundial WSL) e Filipe Toledo; os Estados Unidos levam o Kelly Slater, etc. E al√©m da qualidade, espera-se quantidade, com um n√ļmero recorde de participa√ß√Ķes.‚ÄĚ

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.