Home | Economia | Empresas | Maioria das empresas de mobiliário vai aderir ao Lay-Off
Maioria das empresas de mobiliário vai aderir ao Lay-Off
Maioria das empresas de mobiliário vai aderir ao Lay-Off

Maioria das empresas de mobiliário vai aderir ao Lay-Off

O inquérito da Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA), realizado junto dos seus associados no final do mês de Março, concluiu que 44% das empresas do setor tinham interrompido a laboração, 66% vão aderir ao lay off e 70% tem previstas quedas na faturação superiores a 50%, em abril.

O inquérito da APIMA, procurou perceber o impacto da pandemia da COVID19 na atividade económica do cluster, de acordo com Gualter Morgado, diretor executivo da APIMA: “historicamente, sabemos que estes setores são dos mais lentos a assegurarem a retoma, tendo em conta que os bens que produzem não são de primeira necessidade”.

Neste sentido, a APIMA defende “uma estratégia e medidas de apoio a médio e longo prazo, que permitam fazer face ao esforço de tesouraria realizado no imediato”. Simultaneamente, o diretor executivo da Associação aponta correções urgentes às medidas disponibilizadas: “É fundamental que a Banca e as demais entidades envolvidas facilitem o acesso às linhas de financiamento anunciadas, quer ao nível das garantias, quer, sobretudo, das taxas de juro, que se encontram a níveis inaceitáveis, face à atual conjuntura”.

As principais dificuldades sentidas pelas empresas inquiridas prendem-se com a diminuição das encomendas (88%), problemas na cadeia de distribuição (60%) e nos fornecimentos (45%). Paralelamente, 42% dos auscultados revelam ter sido prejudicados pelo cancelamento de eventos, como é exemplo o Portugal Home Week, principal evento da Fileira Casa Portuguesa.

Fruto destas dificuldades, um terço das empresas revela perdas superiores a 50%, já no mês de março, em relação ao período homólogo. Em abril, 21% dos inquiridos estima quedas de faturação na ordem dos 25%, com 70% a calcular uma descida superior a 50%. No que concerne às previsões anuais, apenas 4% estima perdas até 10%, com quase dois terços das empresas inquiridas a expectarem uma redução de 25% e cerca de 30% a calcularem uma queda superior a 50%, face ao ano de 2019.

Para responder ao impacto da pandemia, a esmagadora maioria das empresas pretende recorrer às medidas de apoio anunciadas pelo Governo, nomeadamente ao lay-off.

A APIMA (Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins) é uma associação empresarial sem fins lucrativos, criada em 1984, de direito privado e âmbito nacional, sediada no Porto. A Associação tem como desígnio representar as empresas do setor e promover o desenvolvimento de condições que aumentem a sua competitividade nacional e internacional.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.